sábado, 29 de novembro de 2014

Esquecimentos e...esquecimentos!


Ultimamente tenho tido vários episódios de esquecimentos. Muitas vezes esqueço de coisas como deixar o celular lá em baixo e subir para o quarto, deitar para dormir e lembrar que me esqueci de tomar o remédio da noite e ter que levantar, chegar no consultório e ver que esqueci minha bolsa com coisas importantes que eu usaria naquele dia, fazer uma lista de mercearia e esquecer de pegar a lista antes de ir, e por aí vai...coisas corriqueiras do dia a dia, sem muita importância, mas que incomodam tremendamente !

Fiquei apreensiva se esses esquecimentos não poderiam ser o inicio de um processo sério, de alguma doença e procurei fazer exames.....felizmente, nada foi detectado que pudesse confirmar minha preocupação. Fui, no entanto, orientada a fazer um controle regularmente para ver se não há uma progressão e agravamento do quadro...
Acredito que uma doença degenerativa se inicie devagarinho, aos poucos até chegar a um grau sério! Meu médico me orientou a modificar alguns medicamentos que uso para verificar se podem estar afetando minha atenção. Dois meses depois dessas modificações já percebo resultados positivos, e penso que tudo não passa de stress, cabeça cheia de atenções a dar  aos vários setores da vida de uma mulher que já passou dos sessenta, que é médica e dona de casa e que gosta de estar por dentro de todos os assuntos que acontecem na política, na profissão, notícias, tecnologia, internet e afins,  família, etc.

Mas, hoje cedo, ao desejar "feliz sábado" a uma amiga ela me questionou: sábado? e, até que eu tivesse certeza que era realmente esse o dia, tive que me valer de algumas técnicas mentais que me certificassem que ontem foi sexta feira, que hoje a empregada não vinha e que amanhã é domingo. Então me lembrei de um fato interessante que aconteceu comigo quando eu tinha apenas completado 30 anos.

Fomos passar uns dias numa fazenda em Paracatu, nossa família e a família de mais 3 amigos com os filhos que na época estavam com no máximo 3 anos e os mais novos tinham 1 ano ou um  pouco menos.
Passamos aproximadamente uma semana.  Durante o dia, enquanto os homens iam pescar, eu e minhas amigas, esposas, ficávamos por conta de  cuidar das crianças, pegando um "bronze",  tomando sol no quintal da casa do sítio, jogando, ouvindo música, e nos passando momentos muito agradáveis onde rolavam conversas descontraídas e muita amizade.

Quando chegou o dia de vir embora, um dos nossos amigos, me perguntou: "será que você poderia pegar aquele dinheiro que eu te pedi pra guardar?"- Fiquei parada, meio no ar, enquanto minha cabeça fazia uma verdadeira viagem a 7 dias atrás, tentando me lembrar de algo que realmente não tinha ficado registrado nos meus neurônios! Acredito que o que passou em meu rosto, no meu olhar e em algum gesto que eu tenha feito, tenha sido tragicômico pois meu amigo não conseguiu segurar e cau na risada levando todos que assistiam aquele teatro, a fazer o mesmo! logo entendi que tinha passado por uma "pegadinha" mas tive vontade de descontar o mal estar que passei em poucos segundos. Se ele não tivesse sido traído pelo riso e conseguido levar a sério a brincadeira, insistindo que tinha me pedido pra guardar o tal dinheiro, eu talvez teria até certeza de ter guardado em algum lugar e não me lembrar...

Então eu penso aqui agora, diante dos meus esquecimentos frequentes, que naquela época eu era bem nova e que minha atenção se dividia também entre as obrigações com casa, trabalho, filhos pequenos, marido,  e que eu muitas vezes não focava minha atenção naquilo que estava fazendo no momento. Fazia muita coisa "de cór".

Hoje me lembro de fatos como esse com um sorriso e certamente daqui a mais alguns anos rirei dessa minha preocupação que um provável Alzheimer possa vir me acometer!




segunda-feira, 14 de julho de 2014

...e a copa não foi nossa...

Depois do meu ultimo post o clima verde amarelo contaminou: o primeiro jogo e os seguintes trouxeram de volta um pouco daquela empolgação das outras copas e, apesar de não ser a mesma coisa, a gente acaba entrando no clima.

E terminaram os jogos dos grupos e o Brasil foi para as oitavas de final. Classificado para as quartas de final e para as semifinais.
Um acidente de percurso grave nos deixou de 4 literalmente, para nao dizer de 7!!!!! Nosso atual ídolo maior do futebol, Neymar, que faz loucuras em campo e dificilmente uma bola que caia em seus pés nao marca gol, foi agredido em campo e sentindo dores fortes, não pode continuar o jogo com a Colômbia.

                             


Teve que ser removido e levado rapidamente para cuidados médicos. Fratura na coluna diagnosticada e confirmada por exames especializados. Sentença final: Neymar afastado dos jogos finais!
Ficamos órfãos do nosso ídolo e entregues ao outros jogadores da seleção.

E entramos nas semifinais. No primeiro jogo que foi com a Alemanha, o maior desastre futebolístico de todos os tempos aconteceu: 7 X 1 para os alemães, sendo que os primeiros 5 gols aconteceram antes de 15 minutos do primeiro tempo!!!!

Óh céus, óh dia, óh tristeza, o que está acontecendo? óh azar!!!!


video


Crash!!! Boom!!! ficamos reduzidos a nada!!! subnitrato de pó daquilo....

                                                          


 Não estamos devidamente preparados no futebol, nosso esporte maior! Estamos abandonados nas mãos dos corruptos por todos os lados que nos roubaram até a chance de ganhar nosso tão sonhado HEXA!!!! Perdidamente perdidos!!!

Isso me lembra aquela propaganda do buldogue do Bradesco: cadê minha casinha???, cadê meu ossinho???, cadê todo mundo??? Cadê nosso time campeão?  Que vergonha sentimos....foi triste....


video

Só que ao contrário do buldogue não encontramos nosso lugar. Nosso primeiro lugar não foi nosso. Perdemos também o 3o. lugar pra Holanda . Perderíamos para qualquer um dos 4 que ficaram para as semifinais, totalmente despreparados, como se estívéssemos de mãos e pés quebrados....

E ontem foi a final entre Alemanha e Argentina! Ganhou a Alemanha, bem merecidamente, mas poderia ter sido os "hermanos" . Sentia-se que estavam ambos bem preparados e um era páreo duro para o outro.

E nós?...agora é esperar mais quatro anos....será que nos deixarão ganhar? Boatos em torno de tudo que aconteceu golpeiam nossas cabeças. Dizem tanta coisa! Será verdade que o técnico foi pago? Será mentira a lesão na coluna do Neymar? 

Enfim.....melhor nem pensar! Isso é apenas um "atenuante"....já ouvi isso em outras eras!a baixa estima até que passou, a raiva e a lembrança de que já estávamos revoltados desde o início volta e já aparecem sinais de manifestações por alguns lados! 

E a vida continua e bom que essa copa acabou pois já perdemos muito tempo e dinheiro com essa história toda.





sábado, 7 de junho de 2014

A Copa das Copas

Pois é.....desde pequena que eu trazia comigo o sonho de que um dia a Copa Mundial de Futebol seria no Brasil.
Em 1958 eu tinha 10 para 11 anos e foi a primeira vez que eu prestei atenção que existia um campeonato mundial de futebol, que tinha um jogador que se chamava Pelé e que era muito bom, que estava jogando muito bem, surpreendentemente fazendo muitos gols e  que o Brasil ganhou este campeonato. 

A festa colorida verde-amarela eu lembro até hoje.
Lembro do meu pai e dos amigos ouvindo no rádio na sala lá da nossa casa e a cada gol era uma festa!

E assim foi por muitos anos, o Brasil se destacando, as poucas vezes que não ganhou ficou entre os finalistas e eu esperando que dia chegaria em que esse campeonato seria aqui no nosso país!
E eis que anunciam previamente 4 anos antes que em 2014 o Brasil sediaria a Copa do Mundo.
Que bom!!! a festa comemorada e a provável vitória celebrada em casa. Se nas outras vezes as ruas ficavam verde e amarelas imaginei que até o ar fosse verde-amarelar!

           ..................................................................................................................................

Mas infelizmente, há uma semana do início do campeonato do futebol das nações, quando os telejornais mostram a chegada das equipes estrangeiras e nossa seleção preparada pra ganhar, a cor do ar é cinzenta! O sentimento que paira é de tristeza, decepção, medo e dor!

Tristeza por ver tanto dinheiro deperdiçado em construções de estádios monumentais quando nosso povo precisa de hospitais e tem doentes morrendo por falta de condições de serem atendidos. 
Decepção com nossos governantes que roubam descaradamente nosso dinheiro que sái para engordar seus bolsos e ficamos sem escolas, os professores recebem um salário irrisório que não atrái nem paga o trabalho que tem para educar os filhos do nosso país...Quanta falcatrua é descoberta e fica por isso mesmo! 

Medo de sair nas ruas, pois se já existe um medo natural porque nossa sociedade está invadida por marginais que adentram nossas casas e nos roubam, sequestram, e chegam até a matar, agora existe a violência, a raiva da população que resolveu reagir e se manifestar contra a realização dessa copa e da gastação de dinheiro, e a existência de grupos espalhados em vários cantos das várias cidades e muitas cidades do nosso país.....aconteceu meses antes e agora nestes dias o medo de sair e ser até mesmo atingido por uma bala perdida é real!
E vem a dor!!! Dor de ver nossos país nessa jogada, jogada da Presidente que não tem gabarito para conduzir nosso povo, que é "pau-mandado" de um ladrão descarado e continua o trabalho que ele iniciou sem escrúpulos esquecendo que é brasileira, mas como tira o "seu" não está nem aí!

E  aqui ficamos na decepção de não podermos curtir essa copa como já curtimos anteriormente e de sentir o coração apertadinho, impedido de se expandir como gostaríamos.....eu me sinto assim!




sábado, 19 de abril de 2014

nossa outra familia

Nossa família convive com outra família: a dos nossos animais de estimação.
Nossa primeira cadelinha, a Flicts, uma linda cocker spaniel,  morreu bem nova. Tinha apenas 3 anos ....

Quando a  Flicts nos deixou compramos outro exemplar dessa raça que também consideramos a mais bonita entre os cães: o Galak,
um cocker branquinho. Muito lindinho, logo ganhou uma companheira, a Dolly, que nos foi dada por uma amiga. Aqui começou a família que há mais de 30 anos nos acompanha.

A Dolly teve 5 lindíssimos filhotinhos...mistura perfeita do dourado com o branco, as mais diversas nuances: Menina, Bombom, Biscoito,Cookie e Lolla !

A Menina ficou aqui em casa por 11 anos e em uma das duas ninhadas que teve escolhemos o Luar. Ele já está conosco há 13 anos, já idoso(me corta o coração) mas ainda acompanhando seus filhos Estrela e Godo na barulhada alegre que fazem na casa. 

A Estrela é filha dele com uma fêmea de uma amiga e tem o temperamento bem peculiar: ciumentíssima e é pequenininha. 
A menor cocker spaniel adulta que eu já vi.
O Godo veio por acidente, quando a Estrelinha, com um ano, cruzou com papai Luar e deu à luz 7 filhotes. O Godo foi escolhido pois era, sem exagero, gigante! Nome dado por um amigo que quando o viu, falou: Nossa, ele é GODO!, se referindo a grandão e o apelido pegou. 

O apelido gerou o nome Godofredo Mequetrefe pelo qual é chamado quando apronta uma das suas....mas é um dengoso, carinhoso....


Então, em 1983 o Galak veio e hoje, em 2014 se perpetua no Godofredo que é o mais novo da família que começou há 31 anos.
Não acho que a família se extenderá por mais alguns exemplares. Não pretendemos cruzar a Estrela que já vai completar 9 anos e o Godo, se for papai um dia, não acredito que pegaremos um filhote.....hmmmm....será?


Uma outra família de cães que tivemos paralelamente ao longo dos tempos foi a de nossos dobermanns: quando a Flicts morreu, já havíamos adquirido nossa primeira dobermann, a Luna, que viveu 15 anos em nossa companhia. Foi ela que me fez apaixonar por essa raça, com toda sua ternura,  amizade, bravura e fidelidade pelo dono, pela família que a acolheu.

Ela nos deu seus filhos Boomerang, Halley e Rambo, que durante anos estiveram a nosso lado, nas alegrias e nas tristezas, rindo ( literalmente ) e chorando ( também! ).
  


Depois do Halley comprei a Diana(preta) e atualmente temos a Hermione(marron) que é nossa fiel companheira, linda, e que se acha uma cocker spaniel pois chegou a nossa casa quando o Godo era filhote. Por isso, a temperamental Estrela a considera filha e é tida como tal pela Hermione que demonstra sua submissão à suposta mãe. Godo é seu irmão de brincadeiras, lutas e ele tenta manter-se a altura, mas de vez em quando a gente percebe um arranhão provocado pelos carinhos da irmãzona.

Convivem muito bem e adoram.....jabuticaba. Confiram abaixo!








sexta-feira, 14 de março de 2014

Os lugares falam

Ontem a Celina, personagem da novela Além do Horizonte falou uma frase muito linda e marcante: "Impressionante como os lugares que a gente passa guardam as lembranças que a gente viveu".
Achei muito interessante pois o reverso da medalha é sempre lembrado,  a gente passa por um lugar e lembra as passagens da vida vividas ali, mas a colocação dessa frase é mais significativa e poética. Os lugares onde as coisas acontecem parecem falar-nos  de tudo que aconteceu ali.
Aqui em casa, no bairro onde moro, na minha cidade, pelos lugares onde sempre passo, ouço as vozes dos lugares me falando: lembra disso ou daquilo que aconteceu aqui? E aí nosso pensamento viaja por entre as recordações gravadas na nossa mente, por cada minutinho e acontecimento registrados, sei lá, nas fissuras do nosso cérebro onde ficam escondidas essas lembranças.
A lembrança pode ser boa ou ruim mas a viagem na memória é inevitável.
Uma vez li num livro de Saint Exupery, acho que Piloto de Guerra, que muitas vezes voltamos a um lugar onde vivemos uma lembrança marcante em nossas vidas em busca de encontrarmos aqueles mesmos sentimentos....mas que não sentimos nada, não encontramos nada e ficamos desapontados....é que deveríamos retornar aquela época, no tempo e isso não é possível! Resta-nos recordar, e aproveitar a o segredo de cada lugar e retornarmos mesmo que seja em nossas mentes, se a lembrança for boa, claro!




sábado, 1 de março de 2014

Príncipe Encantado

Hoje pela manhã a Globo apresentou no programa Globinho uma versão diferente da Cinderela. Após o baile, quando o príncipe começa a procurar a moça que fugiu e perdeu o sapatinho na escada, a madrasta e as filhas aprontam bastante pra separar o príncipe....enfim, no final eles se encontram e ficam juntos. Mas, não sei se porque foi difícil o reencontro dos dois, na hora que isso acontece o "frisson" é muito maior, e  eu torci demais e vibrei com aquele abraço e beijo.

Isso me fez pensar: será que eu já tive algum encontro com  o meu príncipe ao menos parecido? E ao fazer um exame nas minhas lembranças, me lembrei. Tive sim!
Só que meu príncipe encantado não foi aquele que casou comigo, mas foi aquele que encontrei por acaso e que significou tanto em minha vida, mesmo não tendo dado certo no final, mesmo que não tenhamos continuado juntos.

Mas o abraço do encontro e dos reencontros, foram cheios também de muito frisson, foi inesquecível, o coração faltando sair pela boca e tudo muito bom. Dias maravilhosos passados juntos e experiências que ficaram nas nossas mentes, corações e em algumas fotografias...

Como aconteceu numa idade mais tardia em minha vida, quase aos 50 anos, para mim foi uma injeção de endorfina, um estímulo maior e me trouxe de volta a juventude que já queria aposentar lá na esquina dos meus anos....

Pena que esse príncipe não soube dar continuidade aos dias lindos e à experiência que tivemos. Preferiu ir viver que nem aquele outro de uma figura que recebemos pela internet, vendo TV antiga, com os filhos em volta, na mesmice das vidas de quase todas as pessoas.

E eu fiquei achando que aquilo pudesse ser revertido e que meu príncipe pudesse voltar. Corri atrás, rondei por muito tempo sua sombra, mas não reavi aquele rítmo frenético de nossos corações quando se encontravam nos abraços de muitos anos atrás.


sábado, 15 de fevereiro de 2014

Luna Piena

Sem palavras a seqüência de fotos que consegui no Iphone ontem a noite. A lua cheia me inspira totalmente....e me trás lembranças inesquecíveis.
O tempo. nublado brincava de esconde-esconde comigo, ora mostrando, ora escondendo o branco satélite. Sequência de fotos abaixo.








Essa maravilha da natureza desfilou ontem a noite no céu que eu via da minha varanda. E minha bouganville emoldurou dando um toque rosado a essas fotos, sem flash, sem filtro...